“‘Eu tive uma experiência psicodélica, onde eu olhei para as nuvens e pensei ‘oh!’”, ele diz. ‘Eu me dei conta de que todos nós temos nossa própria força, e que não importa o que eu quisesse fazer, eu teria que fazer acontecer.’ E o que ele quis fazer, foi tentar o
American Idol.” – Revista Rolling Stone, 2009

 

Em meados de 2008, Adam decidiu se inscrever para a oitava temporada do American Idol, um reality show americano de música, que em seus primeiros anos revelou estrelas como Kelly Klarson, Carrie Underwood e Jennifer Hudson.

 

Adam – então com 26 anos – fez a sua primeira audição, ainda apenas para produtores, no dia 17 de julho de 2008 na arena Cow Palace em São Francisco. Tendo sido aprovado, retornou a São Francisco no dia 13 de setembro no hotel Westin St. Francis para se apresentar em frente aos jurados Simon Cowell, Paula Abdul, Kara DioGuardi e Randy Jackson. Adam fora acompanhado de sua mãe Leila, e escolheu duas canções para a apresentação: Rock With you, do Michael Jackson, e Bohemian Rhapsody, do Queen.

Todos os jurados avaliaram positivamente sua performance. Simon afirmou que Adam era “um pouco teatral”, mas concordou que era um bom cantor e deu um sim. Paula Abdul disse “Ele é incrível. É o melhor que já vimos, de todas as cidades.”

 

 

 

Com “sim” dos 4 jurados e o golden card na mão, Adam passou para a fase seguinte do Reality: Hollywood. Nesta etapa, que durou duas semanas, os candidatos deveriam iniciar performando uma canção a capella, depois uma canção em grupos de 3 ou 4, e os aprovados performariam solo novamente, desta vez com acompanhamento da banda. Adam começou cantando Whats Up a capella, e Some Kind of Wonderful em grupo.

 

 

 

 

Simon e Kara demonstraram preocupação acerca da personalidade teatral de Adam, enquanto Paula e Randy consideraram um ponto positivo. Avançando a fase de grupos, Adam escolheu como tira-teima a canção Believe, sendo bastante aplaudido pela plateia.

 

 

 

Após a etapa de Hollywood, Adam é convocado para a Mansão do Idol para receber a notícia: se está ou não entre o top 36. Após o suspense de Simon, é confirmado que Adam integra os 36 semifinalistas do programa.

 

 

Nas semifinais, os competidores foram divididos em 3 grupos e cantaram músicas que foram hits na Billboard Hot 100. Apenas 3 competidores de cada grupo passaram para a próxima fase, sendo a mulher e o homem mais votados, seguido pelo mais votado independente do gênero. Dentre os eliminados, 8 competidores ainda foram salvos pelo Wild Card para uma rodada extra, onde mais 4 competidores foram selecionados, totalizando 13 finalistas.

Adam integrou o segundo grupo, junto de seus amigos Allison Iraheta e Kris Allen. Para esta etapa, Adam cantou o sucesso dos Rolling Stones, Satisfaction, afirmando ser a favorita de sua mãe. A performance lhe rendeu excelentes comentários, e posteriormente Adam foi escolhido para o top 13.

 

“Uma coisa que a performance desta noite me mostrou, é que sua técnica e habilidade vocal são poderosas. Você pode ir de uma nota tão grave para uma nota tão aguda… quem tem um poder vocal como esse? Ele está cantando coisas insanas. Isso é loucura, num bom sentido.”

 

 

Passando para o top 13, Adam e os outros concorrentes se mudaram para a mansão do Idol, onde puderam ter acompanhamento de músicos, especialistas, coreógrafos e mentores. Adam dividiu quarto com Kris Allen, que veio a ser seu adversário na final.

 

 

No top 13, com o tema Michael Jackson, Adam escolheu para sua performance a canção Black or White. A princípio sua escolha seria Thriller, porém ele acreditou que a canção escolhida poderia transmitir melhor seus sentimentos. Adam recebeu imensos elogios dos jurados, e mais tarde avançou para a próxima etapa.

 

“Nunca na história do American Idol, em todas as 7 temporadas até agora, nós vimos alguém tão confortável, maturo, possuindo este palco… Eu nem sequer vi o palco, porque meus olhos estavam focados em você. Sua habilidade nata de saber quem você é como artista, e casar estilo com música como você fez. Você trouxe todo o pacote. E eu acredito, de todo o meu coração, que veremos você seguindo até o fim… na final.” – Paula Abdul

 

 

Chegando ao top 11, tivemos como tema o Grand Olle Opry, que é conhecido como o espetáculo responsável pelo reconhecimento da música country. O mentor da semana foi o cantor country Randy Travis. Para este tema, Adam escolheu a música Ring of Fire, porém com estilo e arranjo diferentes do original. A apresentação foi um choque especialmente para os jurados, e Simon chegou a chamar a performance de “lixo indulgente”. Enquanto isso, nos sites e jornais do país todo, Adam era ovacionado como sendo uma das apresentações mais marcantes da história do American Idol. Mesmo com a controvérsia, Adam avança para a próxima etapa facilmente.

 

 

No top 10, tivemos como tema Motown, que foi uma gravadora dos anos 60, revolucionária nos estilos soul, blues, R&B e pelo uso de orquestração nos arranjos. O “Som de Motown” serviu de inspiração para Adam performar uma versão acústica da música “The Tracks of My Tears”, tendo como mentor o cantor e produtor Smokey Robinson, conhecido como ex-presidente e “Rei da Motown”. A apresentação de Adam, mais uma vez, arrancou aplausos da plateia, dos jurados e de Smokey, que o aplaudiu de pé. Adam novamente avança para a próxima etapa.

 

 

Pulando para o top 9, os concorrentes performaram canções que foram sucesso em downloads no iTunes. A escolha de Adam foi “Play That Funky Music”. Adam afirmou ter se divertido durante a performance, o que Simon concordou: “sim, pude sentir isso”.  

 

“Toda sexta, nós conversávamos por telefone sobre qual música ele estava pensando em cantar na próxima semana. Obviamente, todas as minhas sugestões eram sumariamente descartadas. O mais próximo que eu cheguei, foi sugerindo a música ‘Instant Karma’, na semana dos anos 70. Ele cantou ‘Play That Funky Music, White Boy’. Ironia mordaz é o pilar de qualquer boa relação pai-filho.” – Eber Lambert

 

 

O top 8 traz um dos momentos mais marcantes de Adam no programa, e provavelmente também uma das melhores apresentações de toda a história do American idol. Com o tema “O ano do seu nascimento”, Adam conquistou jurados, plateia e audiência cantando “Mad World”, inspirado na versão acústica de Gary Jules. Quando Adam iniciou sua performance, a última da noite, o programa já havia excedido 9 minutos de seu tempo de exibição na Fox, fazendo com que milhares de espectadores perdessem sua apresentação. Por conta do tempo esgotado, apenas Simon comentou a apresentação, lhe dando uma salva de palmas de pé – a única que ele deu em toda sua história no American Idol.

 

“Adam, a má notícia é que estouramos o tempo, a boa notícia é que eu serei o único a falar. Eu não encontrei as palavras necessárias, então eu quero lhe dar uma salva de palmas de pé.” – Simon Cowell

 

 

Na semana do top 7, tivemos como tema “canções do cinema”, e trazendo como mentor o ator Quentin Tarantino. Adam escolheu a canção explosiva Born to Be Wild, do filme Easy Rider. Simon fez algumas críticas: segundo ele, os vocais foram incríveis, mas a performance deixou a desejar. Já Paula Abdul o encheu de elogios, dizendo que ele era um dos competidores mais corajosos que ela já tinha conhecido. Nesta semana, os jurados utilizaram de um recurso único para salvar o candidato eliminado, sendo assim, não houveram eliminações neste ponto e tivemos um novo top 7.

 

 

Na segunda semana do top 7, o tema escolhido foi “Disco”. Mudando radicalmente o estilo de performance comparado à semana anterior, desta vez com uma apresentação mais intimista, Adam cantou “If I Can’t Have You”, e justificou: “Eu quero fazer algo que possa criar uma conexão emocional”. A performance levou Paula Abdul às lágrimas. Devido ao concorrente salvo na semana anterior, nesta semana tivemos dois eliminados, pulando portanto diretamente para o top 5.

 

 

O top 5 trouxe como tema “Rat Pack”, um super grupo de artistas dos anos 50 e 60, que traziam nomes como Frank Sinatra, Dean Martin e Marilyn Monroe. Adam escolheu para esta semana a música “Feeling Good”, de Cy Grant, porém com um arranjo mais rock. Durante os ensaios, Jamie Foxx, o mentor da semana, se mostrou impressionado com a habilidade vocal de Adam. Após Adam cantar na sua frente, ele brincou dizendo “Absolutamente incrível. Você sequer se importa sobre quem eu sou”, levando Adam aos risos. Mais tarde, Adam confessou “Isso foi divertido porque boa parte da canção eu cantei de olhos fechados, porque eu pensava ‘uau, Jamie Foxx está a um metro da minha cara, estou surtando!’”.

Mesmo com uma performance impecável, esta foi a primeira vez onde Adam ficou entre os 3 menos votados, mas conseguiu prosseguir para a próxima etapa, junto de Allison, Danny e Kris.

 

 

No top 4, tivemos o Rock como tema da semana, e que contou com a presença de Slash como mentor. Adam declarou que este estava sendo seu tema favorito de todo o programa, e que pretendia arrasar. Assim sendo, escolheu a música “Whole Lotta Love”, de Led Zeppelin. A performance rendeu comentários bastante positivos. Randy disse “Esse é o Adam que eu adoro! Ninguém quer saber de Broadway ou coisas do tipo, olhe, você é um rockstar!”. Já Simon disse “Essa é umas de suas apresentações favoritas para mim, e será difícil alguém superar isto agora.”

 

 

Nesta semana, os 4 concorrentes se apresentaram em dupla. Adam também cantou com Allison Iraheta a música Slow Ride. Adam e Allison criaram uma forte amizade durante o programa, e Adam a chamava de “minha pequena irmã”. Infelizmente, Allison foi a eliminada deste round, deixando Adam bastante entristecido após os resultados.

 

 

Entrando nas semi-finais, os 3 concorrentes apresentaram duas músicas cada: uma escolhida pelos jurados, e outra por escolha própria. Para Adam, Simon enviou uma mensagem de texto informando que havia escolhido para ele a música “One”, do U2. Simon escolheu esta canção por ser sua favorita, mas antes, enviou um pedido para o U2 se poderia liberar Adam para cantá-la. Em resposta, recebeu uma ligação de Bono Vox dizendo que seria um prazer ver Adam cantando esta música.

Já na música de escolha pessoal, Adam escolheu “Cryin’” do Aerosmith. Antes de se apresentar, ele disse ao apresentador: “Steven Tyler é o cara, eu quero deixá-lo orgulhoso.”

 

One:

 

Cryin’:

 

Ao fim do programa, Kris Allen é anunciado como o primeiro finalista, deixando a segunda vaga para disputa entre Danny Gokey e Adam. Diferente de Kris e Adam, Danny foi o único que nunca esteve entre os três menos votados, e segundo o histórico do programa, em apenas uma edição a final foi composta de participantes que já estiveram dentre os três menos votados. Entretanto, tendo o segundo maior número de votos, Adam é anunciado como o segundo finalista.

 

 

Final

Abrindo as apresentações na primeira noite das finais, Adam escolheu apresentar novamente a canção “Mad World”, que repercutiu positivamente em diversos veículos de jornal e TV pelo país, e também entre os espectadores.

 

 

Já sua segunda canção, escolhida pelo artista e produtor Simon Fuller, foi a marcante “A Change is Gonna Come”, música que ele coincidentemente cantou também em sua primeira apresentação no projeto musical Zodiac Show. Kara DioGuardi definiu esta como uma de suas melhores apresentações.

 

“Esta pode ter sido sua melhor performance e interpretação desde o começo desta competição. A combinação, as altas notas, e a forma como você colocou-a para fora e mostrou a emoção desta música. Esta é uma combinação vencedora, usando seus dois lados.” – Kara DioGuardi.

 

 

A terceira canção solo foi a canção criada para ser o primeiro single do vencedor, chamada “No Boundaries”.

 

“Ao longo de toda a temporada, você foi um dos melhores, um dos concorrentes mais originais que já tivemos no show. A esperança e toda ideia deste show é: encontrar uma estrela mundial. E eu realmente acredito que nós encontramos isso em você”. – Simon Cowell

 

 

Na segunda noite das finais, já com a votação encerrada, tivemos as participações especiais. Adam cantou “Beth”, e ao final anunciou a banda Kiss. Juntando-se a eles no palco, Adam e o grupo cantaram os sucessos “Detroit Rock City” e “Rock and Roll All Night”.

 

 

Mais tarde, todos os rapazes do top 13 se uniram para cantar “Do You Think I’m Sexy”, e em seguida Adam chama ao palco o cantor Rod Stewart.

 

 

Ao final da noite, uma das apresentações mais memoráveis: Adam e Kris juntam-se à banda Queen para cantar We Are The Champions. Esta performance é considerada um marco na carreira de Adam, pois foi neste momento onde as primeiras portas se abriram, para o projeto que futuramente viria a ser Queen + Adam Lambert.

 

 

Para grande surpresa de todos, Adam foi anunciado como vice-campeão da competição, tendo como vencedor seu amigo e colega de quarto Kris Allen. Ainda incrédulo, Kris disse que Adam merecia demais ter vencido.

 

“Adam foi o competidor mais consistente durante todo o ano. Ele foi, definitivamente, um dos artistas mais talentosos que eu já conheci.” – Kris Allen

 

Dias depois, durante entrevista para a Rolling Stone, Adam afirmou que aceitou muito bem a derrota, pois desde o princípio seu objetivo principal foi “permanecer no programa o maior tempo possível”. Dois dias após o término do programa, Adam assina contrato com a gravadora RCA, e algumas semanas depois sai em sua primeira turnê, junto dos outros 13 finalistas, para os shows da “American Idols LIVE! Tour 2009”.