O site “Stuff.co.nz” publicou uma review sobre o show que Queen + Adam Lambert realizou em Auckland, neste sábado (17). Elogios não faltaram para a banda e Adam como vocalista, declarando que “ele é definitivamente o homem que seria o Queen e Freddie ficaria orgulhoso”.

   Leia abaixo a matéria completa traduzida:

REVIEW: Queen e Adam Lambert ao vivo em Auckland

Queen e Adam Lambert
Spark Arena, Auckland

A ironia não me perdeu na mesma noite em que a anual Parada do Orgulho [LGBTQs] aconteceu. Fui enviado para ver o Queen, uma banda cujo vocalista subiu alegremente o mundo do rock com sua personalidade de campo aberto e menos do que heterossexual após horas de atividade. O fato de o seu substituto – uma estrela pop descaradamente gay – conquistar uma audiência muito média da Nova Zelândia, era uma alegria de contemplar e o show era um deleite absoluto.

Quando eu disse a uma amiga de passagem que eu estaria fora para ver Queen e Adam Lambert na Spark Arena no sábado a noite, seus olhos se iluminaram e os superlativos derramaram. Depois de ver eles na última vez que vieram a Nova Zelândia com turnê – em torno de dois anos atrás – ela tinha caído sob o feitiço da velha banda com um novo vocalista e até chegou a agarrar os ingressos para o show de sábado e domingo desta vez.

Quando entrei na Spark Arena para o show de sábado, era evidente que ela não estava sozinha em seu fervor para a recém rejuvenescida Queen, com o entusiamo muito antes da banda ganhar o palco e o amor para Lambert claro em cada apostador.

Parte do encanto do Queen para mim foi sempre o elemento completo que espreitava sob seus hinos de rock, sua subversão única – graças ao falecido Mercury – de um gênero [rock/heavy metal] tradicionalmente machista. Lambert para entender este elemento chave, e como incumbente no papel de líder do Queen, definitivamente se fez em casa.

Depois de mais de cinco anos de apresentações com as lendas do rock britânico, ele realmente fez o papel dele no palco e parece divertir-se muito, especialmente ao abordar músicas como “Don’t Stop Me Now” e “Somebody To Love”, que ele claramente ama cantar. Outras como “Fat Bottomed Girls” ele parece um pouco menos apaixonado, mas a última provocou uma animação no baterista Roger Taylor, que claramente parece estar animado por ainda estar atrás de sua bateria.

O guitarrista Brian May é o homem que claramente parece estar vivendo sua melhor vida, contudo, lançando-se a adoração dos fãs tendo seu próprio “momento” no palco com imagens do querido Freddie. Visto com o guitarrista May no American Idol em 2009, Lambert de 36 anos, esteve viajando com os membros sobreviventes do Queen e entre os períodos promovendo sua carreira solo de sucesso. E é óbvio que os dois se divertem muito, o que é ótimo ver no palco e ecoou no entusiamo de todos na plateia.

Finalizando com a icônica “We Are The Champions”, Lambert repleto com sua coroa cintilante e capa dourada, o show foi uma grande diversão do início ao fim.

Lambert é definitivamente o homem que seria o Queen, e sim, Freddie ficaria orgulhoso. O show de domingo a noite deve ser divertido e altamente recomendado.

Fonte
Tradução: Equipe Glamily Brasil