Após poucos meses de lançamento do seu single independente “Welcome To The Show”, Adam surpreendendo à todos lançou nessa manhã o clipe oficial da canção que teve sua estreia diretamente no site da revista “Flaunt”. O single conta com a participação de Laleh, sueca que também participou da composição da canção.

   O clipe foi filmado em 31 de março, como assim divulgado por Michael Su, que naquele mesmo dia postou uma foto do set de filmagens, confirmando-se apenas hoje que o clipe seria de Welcome To The Show.

   Assista abaixo o clipe de “Welcome To The Show”, co-dirigido por Lee Cherry, onde conta também com a participação de Laleh:

 

   Em prol da divulgação do clipe, a revista Flaunt postou junto com o clipe uma declaração de Adam, onde fala sobre a história da música. Leia abaixo:

“Welcome To The Show é um hino sobre confrontar exatamente quem você é e POSSUÍ-LO. É destinado como um mantra para inspirar força e ORGULHO. Depois de gravar a música há alguns meses atrás, eu me senti bastante obrigado a criar um vídeo para comunicar mais o seu significado.

Noto essa diversidade em meu público quando estou em turnê: Jovens, velhos, homens, mulheres, Trans, Gay, Hétero, branco, preto, asiático, latino-americano, e tudo o mais lindo entre eles. O elo comum é que eles são todos os seres humanos. Não importa como nos identificamos, o coração humano tem um grupo universal de emoções e necessidades. Claro que é idealista, mas não poderíamos estar reconhecendo nossas semelhanças, em vez de nossas diferenças? Tudo se resume à Identidade. Nós, como sociedade estamos obcecados com a forma de classificar e definir cada pessoa. Há novos rótulos inventados mensalmente para descrever novos “tipos”. Em alguns casos, esses rótulos são necessários para nos fortalecer e nos dar clareza, mas parece que em algum momento, toda a categorização pode se tornar bastante divisiva. Eu vi tantas pessoas presas à identidade que elas se esforçam tanto para manter, ou evitar ao escolher o não. Eu mesmo caí nessa armadilha. Verdadeira individualidade parece assustadora na nossa época de concursos de popularidade de redes sociais. Às vezes é apavorante enfrentar o seu eu verdadeiro e integral, despojado de qualquer pretensão. O bom, o mau, as rachaduras e as cicatrizes. Eu não sou um estranho ao sentimento de não me gostar. Assim que eu supero os meus problemas de imagem corporal, eu percebo que eu às vezes também negligencio o meu espírito. Vivendo em um mundo cheio de tanto ódio, por vezes, torna o cultivo ao amor próprio uma tarefa muito difícil. Eu tenho sempre lutado contra isso como eu tenho certeza que muitos de vocês têm. Minha trajetória é uma espécie de paradoxo em que eu consigo compartilhar a minha arte com o mundo, mas também estar disposto a me jogar aos lobos. Ousar ser diferente, mas ainda querendo ser aceito. Há uma grande beleza a ser encontrada nas contradições da vida. Esta realidade não binária nos permite conduzir feliz, uma vida expressiva, e ainda assim esta mesma liberdade vem com grandes riscos. Eu não estou sozinho neste limbo. Através da minha arte, eu me comprometo a trazer empatia e coragem para qualquer um que tenha sido conduzido a sentir-se indigno ou envergonhado enquanto se atrevem a ser eles mesmos.

Esta é a primeira vez que eu produzo meu próprio vídeo. Com a ajuda do meu amigo e colaborador de longo tempo Lee Cherry, nos propusemos a codirigir algo notavelmente honesto. Falei com Laleh (a compositora brilhante que é destaque na música) e nós concordamos com a vulnerabilidade que queríamos capturada na tela. Acho que quanto mais nós, como artistas compartilharmos a nós mesmos mais alguém lá fora, pode sentir-se inspirado a fazer o mesmo. Eu também senti uma forte sensação de empoderamento na criação deste vídeo independente da gravadora. Era hora de filmar um por minha conta. Este vídeo não é sobre a venda de uma canção, ou a inserção de um produto, ou acumulando visualizações virais. Este está previsto simplesmente como uma expressão criativa. O que resultou no set veio de um headspace muito livre e orgânico que me permitiu conectar com a câmera como se fosse cada pessoa que me apoiou ao longo dos últimos 7 anos. Este vídeo é um muito obrigado a todos vocês que se dispuseram a ver a Original High World Tour. Para todos os que ouviram e compartilharam as minhas músicas e me deram o propósito de seguir em frente. É um agradecimento a todos vocês que escolhem aceitar e Amar quem VOCÊ é! Nós defendemos uns aos outros! Eu quero que vocês mantenham-se celebrando exatamente quem você são. mesmo se vocês não se encaixam nas ideias do mundo sobre o que eles acham que você deve ser. Aguente suas falhas no tranco, nutra seus talentos, tenha orgulho da sua estranheza, e compartilhe todo o amor que você tem. “

— Adam Lambert

 

Tradução: Clara Almeida
Fonte: Flaunt Magazine